RSS

QUANDO DEUS FICA EM SILÊNCIO

01 fev

silencio“Ah! Quem me dera um que me ouvisse! Eis que o meu intento é que o Todo-poderoso me responda!” (Jó. 31:35)

Você já teve a experiência de clamar a Deus por uma resposta e Ele fica totalmente calado sem responder nada? O Ministério Voz da Verdade canta uma canção que gosto muito “Quando Deus se cala”: “Há momentos que Deus se cala e não ouço a sua voz, a minh’alma grita forte… No silêncio aprendi, que ele está a me moldar… No silêncio do sepulcro, foi no inferno pra salvar, mas o mundo não sabia, que ele estava a trabalhar…”

Diz a Bíblia que quando Samuel ainda era um menino e ajudava o sacerdote Eli no templo, “naqueles dias raramente o Senhor falava, e as visões não eram frequentes” (I Sm 3.1). Talvez você já tenha experimentado uma aparente demora ou ausência de Deus. Fico tentando imaginar por que Deus em determinados momentos se cala, justamente quando mais precisamos ouvir a Sua voz e direção. E concordamos com uma coisa: é terrível “ouvir o silêncio de Deus”.

O silêncio de Deus grita mais alto em nossos ouvidos do que o ruído da tempestade. Não é fácil lidar com o silêncio de Deus. Não é fácil gritar por socorro e escutar apenas o silêncio. Não é fácil orar por vários anos e a resposta não chegar. Muitas vezes, Deus lida conosco por meio do silêncio. Foi assim como Jó. Depois de perder seus bens, filhos e saúde, Jó ainda enfrentou a revolta da mulher e a incompreensão dos amigos. Jó transmite uma personalidade caracterizada pelo ser, não pelo ter (Jó 2:10). Ele perde seus bens, ainda mantém sua convicção. Perde seus filhos, e ainda permanece fiel. Jó perde a sua própria saúde, mas guarda esperança. Jó sofreu um grande impacto ao ver que já não podia mais contar com sua esposa, mas mesmo assim a sua fé não é abalada (Jó 1:21). A história de Jó ao ser lida com espiritualidade e fé, nos traz esperança e motivação para vencer qualquer peleja da vida. Mas se olharmos bem a fundo no livro, veremos que Jó enfrentou um dos maiores dilemas das aflições da vida. O silêncio de Deus (Jó 31:35).

Jó ergueu aos céus dezesseis vezes a mesma pergunta: Por que? Por que? Por que? A única resposta que recebeu foi o total silêncio de Deus. Jó expôs sua queixa trinta e quatro vezes. Ouviu como resposta apenas o silêncio. Quando Deus falou com ele, não respondeu sequer uma de suas perguntas. Ao contrário, fez-lhe setenta perguntas, revelando sua majestade e poder. Deus restaurou a sorte de Jó e deu-lhe tudo em dobre e ainda uma vida longeva. Jó viu os filhos dos filhos até a quarta geração. Quando Deus fica em silêncio é porque ele está trabalhando em nosso favor e não contra nós. Ele está preparando algo melhor e maior para nossa vida. Quando Deus fica em silêncio ele continua sendo nosso Pai onipotente, amoroso e bom!

É no silêncio que Ele está trabalhando (Is 64.4). O silêncio de Deus em nossas vidas, também traz experiências que nos servem como exemplos, para entendemos a posição do nosso Deus, quando ficamos em silêncio, não falando com Ele e nem o ouvindo.

O silêncio não é algo meramente negativo. Quando as palavras falham, é o silêncio que exprime os grandes sentimentos de dor, de alegria e de amor. Ele é o teste definitivo dos grandes gênios, dos grandes santos, dos grandes amantes. Em Deus, o silêncio fala sem palavras e a palavra fala em silêncio. O espírito é levado ao silêncio de Deus para aí ouvir a sua Palavra.

Somente no contexto do silêncio é que a palavra divina pode ser ouvida e o Verbo pode encarnar-se em nossas mentes e corações, pela aceitação da fé, do amor e da esperança. O silêncio de Deus é esse eterno processo de encarnação do Verbo em nossas vidas. O silêncio pode levar-nos a Deus e esta é a razão pela qual o diabo procura atrapalhar.

Talvez pudéssemos parafrasear Oséias 2,14 que diz: “Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração” e dizer: “Levá-lo-ei ao meu silêncio e aí lhe falarei ao coração”. O silêncio ensina-nos a esperar por Deus, mas sem deixar de procurá-lo. O silêncio de Deus é também um silêncio de paz e de felicidade, o que não exclui o sofrimento.

Há muitos que confundem silêncio com solidão, o que é lamentável, porque há uma imensa diferença entre ambos. Solidão significa estar à espera de Deus, estar a sós com Deus, ao passo que o silêncio é este imenso mar no qual você mergulha e fica perenemente tranquilo, sem, entretanto, nenhuma conotação ou ideia essencial de estar sozinho.  O silêncio de Deus é para nos levar a uma total dependência Dele, reconhecer que só Ele pode todas as coisas. É para nos ensinar a esperar e descansar nele, com a certeza de que no seu tempo “Kairós” virá com a vitória que necessitamos. O nosso tempo “Kronos” não é o tempo de Deus, por isso temos que aguardar com fé. Deus está trabalhando enquanto esperamos nele, (Is 64.4). Quando Deus se cala é para que nós busquemos com maior intensidade a sua presença. Alguns dizem: “Deus tarda, mas não falha”! Eu não concordo e declaro: “Deus não tarda e nem falha, Ele tem o seu tempo determinado”!

Bispo Hermes da Gama

About these ads
 
Deixe um comentário

Publicado por em 01/02/2013 em MENSAGENS

 

Tags: , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 77 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: