RSS

“EFRAIM” UM BOLO QUE NÃO FOI VIRADO

20 jan

   nacao_bicolor “Efraim se mistura com os povos; Efraim é um bolo que não foi virado” (Oséias 7.8).

O Profeta Oséias usa freqüentemente o termo “Efraim” para designar a nação de Israel.

Israel na sua cegueira espiritual está se perdendo entre as nações.  Na sua arrogância, ele desafia o castigo divino, e abandona o seu Deus, de quem tinha recebido a sua missão singular. Pela natureza de sua missão, era vontade de Deus que Israel trabalhasse entre as nações, transmitindo-lhes a revelação divina, porém sem se misturar com elas, sem se misturar com suas práticas pagãs pecaminosas.

O verbo hebraico “balal” refere-se ao ato de “misturar” o azeite com a massa da flor de farinha, no preparo dos pães asmos para o sacrifício. O significado do uso da figura aqui é que Efraim ou Israel era vocacionado como um povo distinto, um povo santo e eleito, mas misturou-se com os povos pagãos vizinhos que eram inimigos de Deus. Misturou as verdades de Deus reveladas às práticas pagãs de religiões idólatras. Criou-se um “sincretismo” religioso. Fazendo assim “Efraim” perdeu a sua própria identidade.

“Efraim” significa “frutífero”, e era o filho mais novo de José, e foi abençoado por Jacó com uma benção dobrada (Gn. 48.17-20).  Mas a tribo de Efraim nos dias do profeta Oséias estava no caminho do erro, da apostasia. Eles estavam perdendo a sua herança e benção espiritual porque estavam se misturando com povos inimigos de Deus. Estava fazendo “aliança” com ímpios. Efraim não estava mais frutificando para o Reino de Deus, pois estava se misturando com o mundanismo. Efraim estava perdendo sua identidade como um “povo santo”, separado por Deus para ser “luz do mundo e sal da terra”. E se o sal perder o seu sabor e tornar-se insípido, não serve para mais nada, disse Jesus.

Efraim misturou-se  no meio da massa dos povos mundanos e tornou-se semelhantes a eles. Efraim tornou-se apenas um ingrediente na mistura com os povos pagãos. Ele não era mais o mesmo, não fazia mais diferença. Não mais influenciava com a fé, a fidelidade e a justiça. Ele foi assimilado pelos povos vizinhos, sem saber que tinha perdido a sua identidade.

O Senhor Jesus orou “Pai, não te peço que os tire do mundo, mas que o livre do mal”. O Cristão não pode sair do mundo, mas por outro lado não pode se misturar com o mundo mal. Não pode praticar o mesmo mal que o mundo pratica.

Efraim é retratado como esposa do Senhor. Mas uma esposa adultera ou prostituta. Ela prostituiu espiritualmente com falsos deuses.  Portanto, o profeta denuncia os pecados de Efraim que são: infidelidade, adultério, idolatria, apostasia, desvio, rebeldia, falta de conhecimento de Deus e Sua Palavra.

Há esperança de salvação para Efraim? Há cura e restauração para Efraim? Efraim habita no “vale de Acor” (Os. 2.15). “Acor” significa “problemas”. Efraim vive no “vale dos problemas”. É problema moral, financeiro, espiritual; é problemas de toda sorte. Efraim está atolado em um lamaçal de pecados e problemas. Mas Deus diz que transformará o “vale de Acor” em uma “Porta de Esperança”.

Óh Deus faça nossa Igreja ser uma “Porta de Esperança” para milhares de pessoas que vivem no “vale de Acor”!

Há milhares de pessoas hoje vivendo no “vale de Acor”, o “vale dos problemas”. São pessoas oprimidas, fracassadas, cheias de problemas familiares, sociais, financeiros, psicológicos e espirituais. Mas Deus quer abrir uma “Porta de Esperança” para elas. A Igreja  do Senhor Jesus deve ser esta Porta de Salvação!

Então o Profeta diz: “Efraim é um bolo que não foi virado” (Oséias 7.8). Como resultado da mistura com povos pagãos, com ímpios e incrédulos e a aceitação de suas idéias religiosas falsas, Efraim (ou Israel) se tornou “um bolo que não foi virado”, um bolo cozido de um só lado, mas cru do outro lado. Um bolo assado por fora, mas cru por dentro. Efraim tornou-se uma tribo dividida, a metade serve a Deus, outra metade serve ao mundo.

Quantos “crentes” estão hoje como Efraim, estão divididos entre servir a Deus e servir ao mundo? Quantos estão divididos entre servir ao Reino de Deus e servir aos seus próprios interesses? Quantos estão assados por fora, mas cru por dentro? A verdade de Deus queimou com uma ação apenas por fora, mas não penetrou por dentro do coração. Muitos parecem ser “cristãos” por fora, mas por dentro ainda não estão convertidos. Muitos parecem estar comprometidos com o Reino de Deus, apenas por fora, mas por dentro do coração não estão.

“Efraim é um bolo mau assado”. O fogo queimou só por fora, mas não queimou por dentro. Muitos usam uma “capa” exterior enganosa, parecendo ser, mas quando vem o fogo da provação, demonstra que a pessoa não é no interior o que aparentemente parecia ser. Assim é o “crente” Efraim, um bolo assado por fora, mas cru por dentro. Ele vive uma farsa, uma hipocrisia.

Mas esta é uma hora de mudança. Esta é uma hora de tomada de posição. O verdadeiro discípulo do Reino de Deus não pode ficar “em cima do muro”. Converta-se ao Senhor de todo o coração, e deixe o fogo do Espírito Santo te queimar por fora e por dentro!

Não podemos cometer o mesmo erro de Efraim. Não podemos ser como Efraim. “Um bolo não virado”. Efraim significa neste contexto “uma conversão pela metade”. Ou nós nos convertemos totalmente ao Reino de Deus ou não. Deus não quer só a metade do seu coração. Devemos ser assados por dentro e por fora. A obra de Deus deve ser completa em nossa vida. “Pai, não nos deixe ser como Efraim”. Nos ensina a tratar com Efraim. “Toda carne deve ser assada e queimada com fogo, não podemos deixar nenhuma carne crua em nosso meio”. “Não comereis dele cru… senão assado no fogo!” (Êxodo 12.9).

O Cristão só se torna um bolo comestível, um pão de Deus para alimentar a fome espiritual do mundo, se for todo assado no fogo do Espírito Santo!

Nós podemos até ser como Jacó, mas Deus tratará conosco e nos mudará em Israel.

Assim o bolo queimado de um lado e cru do outro, é uma ilustração que o profeta usa para demonstrar o caráter da conversão de Israel. Ele estava perdendo sua verdadeira identidade e o alvo de sua missão. Estava sendo influenciado pelo mundanismo e pela idolatria.  Seu coração estava dividido. Uma metade estava debaixo do domínio de Deus, outra metade estava debaixo da influencia do pecado.

E o Profeta Oséias diz:

“Estrangeiros lhe comem a força, e ele não sabe; cabelos brancos se espalham sobre ele, mas ele não sabe” (Oséias 7.9).

O mundanismo, o afastamento de Deus e a degradação espiritual avançavam em vários estágios na vida de Efraim (a nação de Israel), e estava perdendo aos poucos a sua força espiritual, mas ele não sabia.

“Os cabelos brancos estavam se espalhando sobre a cabeça de Efraim, mas ele não sabia”. A velhice espiritual estava se aproximando de Efraim, ele estava com todos os sintomas de velhice precoce, a morte espiritual estava se aproximando dele, mas ele não sabia. Efraim é aquele tipo de “crente” que não sabe o que está acontecendo. Ele vive desligado do mundo espiritual.

“O barco estava afundando, o barco fazia água, a água entrava por uma brecha por baixo do casco, mas o capitão, ele não sabia”. Há muitos líderes, bispos e pastores que são como Efraim, a igreja está afundando com problemas graves, está morrendo espiritualmente, mas ele não sabe de nada. Ele não sabe o que está acontecendo. Ele vive como se nada estivesse acontecendo. Ele não faz uma supervisão da obra. Não faz uma parada reflexiva para avaliar o estado real da igreja e da obra do Senhor. Não faz uma avaliação do seu estado espiritual interior e exterior.

O processo de apostasia, de afastamento de Deus, de mundanismo era tão sutil na vida de Efraim, que ele não tinha consciência disso, ele não sabia. Somente o profeta de Deus foi capaz de detectar pela revelação divina a doença espiritual grave que estava se processando na vida de Efraim.

“Tornou-se Efraim como pomba, insensato e sem entendimento, invocam o Egito, e vão para a Assíria” (Oséias 7.11).

A versão NVI diz: “Efraim é como uma pomba facilmente enganada e sem entendimento”.

A versão JFA diz: “Porque Efraim é como uma pomba ingênua, sem entendimento”.

A nação de Israel ou Efraim, diz o profeta, é como uma pomba sem juízo, ingênua, facilmente enganada, diante de duas grandes potências estrangeiras que eram o Egito e a Assíria. O Egito e a Assíria eram duas águias espertas e predadoras que sempre matavam e se alimentavam de suas vítimas. E Efraim era como uma pomba ingênua tentando procurar opoio e salvação exatamente nestas águias que queriam devorá-la!

Quantos “crentes” são como Efraim, são como pombas ingênuas, facilmente enganada por lobos devoradores. Facilmente enganadas por raposas espertas e famintas. Facilmente se tornam vítimas nas garras de águias espertas, assassinas e cruéis. Assim, Efraim era uma pomba ingênua, tola, sem juízo, porque, ao invés de correr para Deus Todo-poderoso e esconder no esconderijo do Altíssimo, ela corria exatamente para a boca dos lobos devoradores, corriam diretamente para as garras de seus inimigos destruidores!

Quanta insensatez no meio do povo de Deus! Efraim era uma tribo que geograficamente habitava no meio do povo de Israel, estava no centro da terra prometida. Mas apesar dessa posição privilegiada, era insensato!

Assim Efraim passou a agir como uma pomba sem juízo hesitando e dando vacilo entre duas grandes potências estrangeiras, disposta a apelar para qualquer lado, menos voltar para Deus.

Há pessoas que agem como Efraim, são como pombas sem juízo, que estão dispostas a apelar para qualquer recurso no mundo, menos buscar a Deus, que é a solução dos seus problemas. Buscam solução para seus problemas em qualquer lugar, menos no Senhor Jesus, que a fonte da salvação.

Efraim tornou-se como um “pomba”, como um velho insensato e sem entendimento, ao invés de buscar a Deus, o Deus Vivo e Todo-poderoso de Israel, ele vai buscar o socorro do Egito e da Assíria. Dois impérios poderosos que nos dias do profeta Oséias disputavam no “palitinho” o domínio e a destruição de Israel como nação.

Quantos “crentes” velhos de casa,  insensatos e sem entendimento hoje nas igrejas, que ao invés de buscarem a Deus, vão correndo buscar apoio no mundo, vão correndo buscar apoio exatamente naqueles que são inimigos da Igreja do Senhor.

“Ai deles, porque se afastam de mim! Destruição venha sobre eles, porque se rebelam contra mim! Eu desejo redimi-los, mas eles falam mentiras ao meu respeito” (Os. 7.13).

Efraim é infiel para com o Senhor. Efraim tem uma tendência de se afastar de Deus.

“Eles não clamam a mim do fundo do coração” (Os. 7.14). Efraim não busca o Senhor com profundeza, do fundo do coração. Efraim representa o tipo de cristãos superficiais. Eles buscam a Deus superficialmente somente para alcançar benefícios materiais. Eles não buscam a Deus para alcançar uma mudança de vida permanente que deve começar no fundo do coração. O Reino de Deus só começa em nossas vidas para valer quando permitimos o Espírito Santo trabalhar e fazer mudanças no fundo de nossos corações!

“Eu os ensinei e os fortaleci, mas eles tramam o mal contra mim” (Os. 7.15). Efraim foi ensinado e fortalecido pelo Senhor através da Sua Lei, da Sua Palavra Revelada, mas apesar disso, Efraim age traiçoeiramente e com ingratidão para com Deus.

“Eles não se voltam para o Altíssimo; são como um arco defeituoso” (Os. 7.16). Efraim é no coração como um arco defeituoso. Ele erra espiritualmente o alvo. Ele devia buscar o Senhor é ser fiel a Ele; ao invés disso ele busca ao falso “deus” Baal e demonstra sua fidelidade para com Ele.

O castigo de Deus “vem ameaçador como uma águia” sobre Israel, “porquanto quebraram a minha aliança e se rebelaram contra a minha Lei” (Os. 8.1).

“Mas Israel rejeitou o que é bom; um inimigo o perseguirá” (Os. 8.3). Efraim é insensato porque rejeita o bom caminho que o Senhor lhe oferece, portanto o inimigo o perseguirá.

“Eles instituíram reis sem o meu consentimento; escolheram líderes sem a minha aprovação” (Os. 8.4). Outro pecado de Efraim é estabelecer governantes sem consultar a Deus, e escolher líderes sem a aprovação de Deus. Eles agiam por contra própria sem buscar a orientação e cobertura do Senhor.

“Eles semeiam vento e colhem tempestade” (Os. 8.7a). Quem semeia o pecado colherá conseqüências trágicas. “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gl. 6.7). Aqueles que se entregam ao pecado, à rebelião contra Deus trazem sobre si a sua própria destruição.

“Quem semeia vento colhe tempestade”. O profeta do Senhor conhece bem a lei de causa e efeito. E assim como a lei de causa e efeito opera no mundo físico, ela opera também no mundo espiritual. Os reis e príncipes de Israel semearam intrigas, idolatria, pecado, corrupção, injustiças, violência, desobediência e rebelião contra Deus, agora eles teriam que sofrer as conseqüências e colher os resultados desastrosos.

Efraim é ainda comparado neste versículo a um “Talo sem espiga, que não produz farinha” (Os. 8.7b). O profeta aqui usa a metáfora da planta, que tem “talo” ou “caule” mas não produz espiga. Efraim é, pois como um pé de trigo que tem “talo” mas não produz espiga, e não produz farinha, e não produz pão, e o pão representa alimento forte, energia, força. E o profeta continua dizendo: e “ainda que produzisse trigo, estrangeiros o devorariam.” Esta figura da lavoura significa que toda tentativa de Efraim de se salvar a si mesmo, resultará em fracasso e futilidade. Porque Efraim não confiava em Deus, o Senhor Todo-poderoso para ser salvo, mas nas potências estrangeiras.

“Israel é devorado; agora esta entre as nações como algo sem valor” (Os. 8.8). Efraim abre brechas no mundo espiritual por causa de seus pecados, e é devorado pelo devorador. Está agora no mundo “como algo sem valor”. Nós só temos valor neste mundo quando estamos no centro da vontade de Deus.

“O jumento selvagem mantém-se livre, mas Efraim vendeu-se para seus amantes” (Oséias 8.9).

Efraim é comparado aqui como um “jumento selvagem”. O jumento selvagem percorre à toa o deserto, impelido pelos seus caprichos, é assim que agia Efraim e Israel. Efraim era como um jumento teimoso e ignorante que queria ter as coisas ao seu modo, a despeito de estar ameaçado por conseqüências drásticas.  Efraim vendeu-se à idolatria e a potências estrangeiras, mediante alianças estúpidas em que a confiança era ridícula. Assim Efraim é “burro” e estúpido como um jumento selvagem. O jumento montês era proverbial como animal de cabeça dura, indisciplinado, obstinado, precipitado e impossível de amansar, pelo que serve de perfeita figura  simbólica para Efraim e Israel.

Há certos tipos de “crentes” nas igrejas que são como um “jumento selvagem” à semelhança de Efraim.  Andam com uma libertinagem sem freios, impelidos pelos seus próprios caprichos e paixões carnais. São crentes de “cabeça dura”. Não ouve ninguém, não escutam conselho de ninguém. Não se submetem a disciplina nenhuma e a governo nenhum. Ninguém consegue domar este tipo de crente “jumento selvagem”. São burros de carga, estúpidos e ignorantes. Não têm entendimento das coisas espirituais. Não gostam de obedecer a homem nenhum. Querem viver livres fazendo o que bem entende no seu coração. Não gostam de prestar conta para ninguém de seus atos. Por que se julgam dono de si mesmos. Que pastor é capaz de apascentar um jumento selvagem?

O profeta Jeremias diz: “…Como jumenta selvagem habituada ao deserto, farejando o vento em seu desejo. Quem é capaz de controlá-la quando está no cio?” (Jer. 2.24).

Este tipo de “crente” como “jumento selvagem” é habituado a viver no deserto, na solidão, é fechado dentro de si mesmo, é antissocial. Ninguém é capaz de controlar este “bicho” quando está com um desejo forte. Se você tentar controlar ou domar uma jumenta selvagem ela dá coices e mordidas!

O profeta diz que Efraim como um “jumento selvagem” – “vendeu-se para seus amantes”. Efraim era estúpido, vendeu-se para potências estrangeiras como o Egito e a Assíria, em troco de uma falsa segurança. Ao invés de confiar em Deus, confiou no braço do homem. Este tipo de “crente” é “burro” e “estúpido” sem nenhum entendimento, e facilmente se “vende” para pessoas estranhas ou estrangeiras. Facilmente alguém mau intencionada e espertalhona pode comprar este tipo de pessoa por um “presente” ou por uma falsa promessa.

“Embora Efraim tenha construído muitos altares para ofertas pelo pecado, eles se tornaram altares para o pecado”. (Os. 8.11). Os altares deveriam ser lugar santo, onde o povo deveria invocar a graça de Deus; mas Efraim era tão estúpido e ignorante espiritualmente que transformou seus altares em lugar de se cometer mais pecados ainda!

“Eu lhes escrevi todos os ensinos da minha Lei, mas eles os consideraram algo estranho” (Os. 8.12).

O Senhor escreveu todos os seus ensinos nas Escrituras Sagradas, para ensinar a Efraim ou Israel, mas Efraim considera a Palavra de Deus como algo estranho. Efraim aqui é o tipo de “crente” ou cristão que considera a Bíblia como algo estranho. Ele não tem intimidade com a Palavra de Deus. Ele não conhece os ensinos do Senhor. Ele não tem conhecimento de Deus e nem da Sua Palavra. Por isso Deus lamenta: “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento” (Os. 4.6).

“Israel esqueceu o Seu Criador e construiu palácios…” (Os. 8.14). Outro pecado de Efraim e Israel foi esquecer-se de Deus e de Sua Palavra.

“Os dias de castigo vêm, os dias de punição estão chegando.” (Os. 9.7).

“O profeta junto ao meu Deus, é a sentinela que vigia a Efraim” (Os. 9.8). O profeta do Senhor, juntamente trabalhando ao lado de Deus, é um sentinela espiritual que vigia as ações e atitudes da Igreja. Ele denuncia profeticamente os desvios da Igreja fora do caminho do Senhor. Ele tem o dever de vigiar e denunciar as heresias, os pecados e corrupções cometidas dentro da Igreja, a fim de que haja concerto e arrependimento.

“A glória de Efraim lhe fugirá como um pássaro: nenhum nascimento, nenhuma gravidez, nenhuma concepção” (Os. 9.11). O “crente” tipo Efraim perderá sua glória por causa de seus pecados e apostasia. Igrejas tipo Efraim perderão sua glória por causa de seus pecados e apostasia, não haverá novo nascimento nela, não haverá nenhuma gravidez espiritual nela, nenhuma concepção das coisas novas da parte de Deus. Deus mesmo castiga a Igreja tipo Efraim, fechando a sua “madre” espiritual. Deus não deseja que uma igreja rebelde gerasse para Ele filhos rebeldes.

“Efraim está ferido, sua raiz está seca, eles não produzem frutos. Mesmo que criem filhos, eu matarei sua prole querida” (Os. 9.16).

Há “crentes” tipo Efraim que estão feridos, a raiz espiritual está seca, e não produzem frutos. Há também igrejas tipo Efraim que “está ferida por dentro, sua raiz espiritual está seca, e não produz frutos”. São igrejas doentes, rebeldes, e contaminadas pelo pecado, e mesmo que criem filhos, o Senhor matará sua prole.

“Israel era como videira viçosa; cobria-se de frutos. Quanto mais produzia, mais altares construíam… O coração deles é enganoso, e agora devem carregar a sua culpa.” (Os. 10.1-2).

Israel era como uma Igreja-Videira viçosa; cobria-se de frutos. Quanto mais produzia frutos, mais altares esta Igreja construía… Mas o seu problema espiritual é aqui diagnosticado pelo Senhor: “seu coração é enganoso”. O problema desta Igreja (Israel ) estava no seu interior, no seu coração. O coração é o centro da vida espiritual. Efraim tinha um coração falso. “Faziam promessas falsas, juramentos falsos e acordos falsos” (Os. 10.4). Ofereciam a Deus um culto falso. Por isso “O Senhor demolirá os seus altares”(Os.10.2); “Os altares da impiedade, que foram os pecados de Israel, serão destruídos” (verso 8).

Mas no meio deste desastre o profeta faz um apelo ao arrependimento e vê possibilidades de esperança e mudança da situação crítica de Efraim:

“Semeiem a retidão para si, colham o fruto da lealdade, e façam sulcos no seu solo não arado; pois é hora de buscar o Senhor, até que ele venha e faça chover justiça sobre vós” (Oséias 10.12).

“Quando Israel era menino, eu o amei, e do Egito chamei meu filho. Mas, quanto mais eu o chamava, mais ele se afastava de mim… Mas fui eu quem ensinou Efraim a andar, tomando-o nos braços; mas eles não perceberam que fui eu que os curou. Eu os conduzi com laços de bondade humana e de amor; tirei do seu pescoço o jugo e me inclinei para alimentá-los.” (Oséias 11.1-4).

Deus amou Efraim desde menino, mas quanto mais o chamava, mais ele se afastava de Deus. Deus o ensinou a andar e o tomou nos braços, Deus o curou, mas ele não percebeu que foi Deus que fez isto.

Efraim é o tipo de “crente” que Deus faz tudo de bom para ele, mas ele nunca percebe ou discerne espiritualmente que foi Deus que tudo fez. Antes ele age e pensa insensatamente, pensando que foi ele mesmo, que foi a sua própria força, sua própria inteligência.

“Porque o meu povo é inclinado a desviar-se de mim” (Oséias 11.7). O impulso interior de Efraim (Israel) era rebelar-se contra o Senhor, Deus de Israel. O coração de Efraim era inclinado a desviar-se de Deus. Eles não queriam aceitar o jugo de Deus. Não queriam aceitar a disciplina. Não queriam andar debaixo de submissão.  Mas no mundo, para onde desviaram, eles entraram debaixo de um jugo muito pior, o jugo do pecado e de Satanás!

Muitos não querem se humilhar debaixo do jugo do Senhor, que é a sua Cruz, mas no mundo terão que se submeter a um jugo terrível e muito pior! Quanta insensatez em nosso meio!

E o Profeta do Senhor diz:

“Efraim se apascenta de vento…” (Oséias 12.1). Efraim era como um louco que tentava apascentar o vento. Há muitos “crentes” loucos correndo atrás do vento! Correr atrás do vento é pura vaidade! “Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.” (Ecl. 1.2).

“Efraim alimenta-se de vento; corre atrás do vento oriental o dia inteiro e multiplica mentiras e violência”. (Os. 12.1-NVI).

Há hoje nas igrejas muitos “crentes” como Efraim, estão correndo atrás do vento dos “modismos” evangélicos. Há muitos “crentes” se alimentando dos “ventos de doutrinas”.

Há muitos que estão “correndo atrás do vento o dia inteiro”. Deus criou o dia como um tempo de vinte e quatro horas. Temos que usar este tempo com sabedoria para trabalhar de forma produtiva na obra do Senhor. Temos que ser sábios aproveitando no máximo cada oportunidade que temos no tempo, “porque os dias são maus” (Ef. 5.15-7). Mas Efraim é o tipo de “crente” insensato que “corre atrás do vento o dia inteiro”. Corre atrás do vento das novelas, dos filmes, da internet, das músicas e programas mundanos. Ele nunca tem tempo para orar e estudar a Palavra de Deus. Por isso ele é fraco e anêmico espiritualmente como Efraim, pois só se alimenta do vento da vaidade e das ilusões. Só se alimenta das “mentiras” das novelas, e da “violência” dos filmes da televisão. O mundo se alimenta da mentira e da violência. Os homens mundanos “correm o dia inteiro atrás do vento”, e o “crente” Efraim é um tipo de crente mundano. Ele se aderiu ao estilo de vida mundano. Ele se rendeu à filosofia do mundo.

Há hoje muitos pastores loucos tentando apascentar “o vento” á semelhança de Efraim. “Mas quem semeia vento  colherá tempestade”, diz o profeta – (Oséias 8.7). Quem semeia coisas erradas no ministério colhe conseqüências desastrosas! Há muitos pastores “insensatos e sem entendimento” como Efraim. Eles estão apascentando e semeando vento, mas no futuro colherão tempestades! Há hoje no mundo muitos políticos e empresários insensatos como Efraim, semeando o vento do pecado e da agressão contra o meio ambiente do planeta, e em conseqüência disto estamos colhendo tempestades em forma de furacões, inundações, e tragédias sem precedentes na história da humanidade. A Palavra de Deus nos adverte com verdade e convicção: “Quem semeia vento colhe tempestade”.

“Efraim apascenta o vento” – diz o Profeta do Senhor. Apascentar é perseguir com a tentativa de controlar. É algo absurdo. Há pastores insensatos e sem entendimento que estão tentando fazer algo absurdo: controlar o vento.

Outros, ao invés de “apascentar”, estão tentando se “alimentar” de vento. Ter o vento como alimentação é ter um prato bastante destituído de substância! Isto é, Efraim seguia conselhos vazios, se alimentava de filosofias humanas, de palavras de homens, de doutrina de homens,  ao invés de se alimentar da sólida Palavra de Deus. “Crentes” que se alimentam de ventos da religiosidade vazia fica com a cabeça cheia de vento!

Há  nas igrejas muitas ovelhas tontas com a cabeça cheia de ventos. Os pastores ao invés de alimentar as ovelhas com a Palavra de Deus estão nos púlpitos alimentando o rebanho com vento. Não falam coisa com coisa. Falam, falam, mas não falam nada. Puro vento. Você espreme a mensagem,  espreme, e não sai nada que alimenta as ovelhas.

A história medieval conta a história lendária de um cavaleiro chamado Dom Quixote, este montava no seu cavalo com suas armaduras de guerra e lutava contra moinhos de ventos! Efraim tipifica muitos “crentes” hoje, que estão lutando contra moinhos de ventos! Tomam as armaduras e fazem guerra espiritual contra moinhos de ventos!

Mas Jacó “… na sua força lutou com Deus… lutou com o anjo e prevaleceu…” (Oséias 12.4). Jacó, embora fosse tão cheio de defeitos espirituais, lutou com o anjo superior a ele e prevaleceu. Jacó tinha sede espiritual. Tinha garra espiritual. Por que sendo Efraim descendente de Jacó, não herdou do patriarca este lado bom, esta boa qualidade espiritual? Por que Efraim, ao invés de lutar com Deus, ficava lutando contra o vento? “A nossa luta não é contra carne e sangue”. Há “crentes” que são como Efraim, ficam usando suas armas contra alvos errados. Ficam lutando “dando murro no ar”. Lutando contra o vento. O Apóstolo Paulo diz: “Pois eu assim corro não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” (1 Cor. 9.26-27).

Efraim é um comerciante desonesto. “Como os descendentes de Canaã, comerciantes que usam balança desonesta e gostam muito de extorquir, Efraim orgulha-se e exclama: Como fiquei rico e abastado! Em todos os trabalhos que realizei  não encontrarão em mim nenhum crime ou pecado” (Oséias 12.7-8).

O profeta fala de Efraim como se fosse cananeu. Os cananeus e os fenícios tiveram reputação se serem enganadores astuciosos nas suas atividades comerciais. Por isso se diz até hoje que turco e judeu são comerciantes astutos. Ficam ricos por causa da sua esperteza.

Há aquele tipo de “crente” Efraim que usa balanças falsas para aumentar suas riquezas. Faz negócios desonestos para ficar rico. Usam de astúcia e esperteza para passar a “perna” nos outros. E na sua consciência deturpada e corrompida pergunta: “Que fiz eu? Não fiquei rico? Há qualquer pecado em ficar rico?” Os meus bens e as minhas riquezas não me justificam?” Para Efraim, e homens de sua classe, o fim justifica os meios. Os judeus pensavam que as riquezas eram provas tangíveis das bênçãos de Deus. Eles perverteram o conceito de justiça e ética da justiça revelada na Palavra do Senhor.

A fim de curar Efraim dessa esperteza e desonestidade, o profeta faz um apelo para que ele mude de atitude, mude de vida, arrependa-se e volte para Deus:

“Portanto, volte para o seu Deus e pratique a lealdade e a justiça; confie sempre no seu Deus” (Oséias 12.6).

“Eu mesmo falava aos profetas, dava-lhes muitas visões e por meio deles falava em parábolas” (Oséias 12.10).

O Senhor Deus Jeová deu a Israel muitos profetas, para iluminar Israel no caminho de Deus, por meio de sonhos, visões e palavras reveladas. Então porque motivo Israel e Efraim sempre se desviava para o caminho da idolatria, da prostituição e da apostasia espiritual? Há profetas de Deus no meio de nós, há profetas de Deus no meio do seu povo, portanto, o povo de Deus quando desvia para o caminho do erro e da mentira ele fica indesculpável.

Na verdade Israel e Efraim haviam cometidos tantos pecados, e tanta hostilidade contra Deus e seus profetas, que “eles consideravam o profeta um tolo, e o homem inspirado um louco” (Os. 9.7). Eles até mesmo perseguiram e mataram os profetas do Senhor.

O Senhor Jesus disse: “Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês” (Mt. 5.11-12,NVI).

“Quando Efraim falava os homens tremiam; ele era exaltado em Israel. Mas tornou-se culpado da adoração a Baal e começou a morrer”. (Oséias 13.1).

Quando Efraim estava na presença de Deus, fiel e fazendo a vontade de Deus, ele tinha uma unção profética sobre ele tão grande, que, quando ele falava “os homens tremiam”. No auge de sua glória ele era exaltado em Israel. Era a tribo mais forte e mais influente em Israel. Mas agora, depois que Efraim entrou pelo caminho da apostasia, abandonando o Senhor Deus de Israel, e tornando-se um adorador do falso “deus” Baal, ele caiu no ridículo e “começou a morrer” espiritualmente. Ele perdeu a sua unção, perdeu a sua autoridade profética, perdeu a sua influência.

Efraim tinha ocupado uma alta posição colocada pelo Senhor. Mas “agora eles pecam cada vez mais” (verso 2). Agora eles estão afundando na “lama” da mentira, da falsidade, da idolatria. Eles agora estão contra o Senhor.

“A culpa de Efraim foi anotada; seus pecados são mantidos em registro”. (Oséias 13.12). Efraim rebelou contra o Seu Deus. O Senhor não terá compaixão. Efraim será destruído (Os. 13.12-16).

Mas antes de Deus tomar esta decisão de destruir e punir seus próprios filhos, Efraim e Israel, Ele revelou a grandeza do Seu amor de Pai para com eles: “Como te posso entregar, ó Efraim! Como te posso abandonar, ó Israel! Como te faria como Adma! Como te poria como Zeboim! Está comovido dentro em mim o meu coração, as minhas compaixões a uma se acendem” (Os. 11.8).

Este versículo descreva o conflito que Deus teve no interior do Seu coração de Pai e Juiz ao mesmo tempo. Como Pai, Ele ama e quer salvar Efraim e Israel. Mas como Juiz justo Ele tem que punir e entregar seus filhos à destruição. Deus continua a amar o Seu povo rebelde mesmo na apostasia.

A seguir o profeta retrata Efraim e Israel como uma mulher que está em trabalho de parto.

“Chegam-lhe dores como as da mulher em trabalho de parto, mas é uma criança insensata; quando chega a hora, não sai do ventre que a abrigou” (Os. 13.13).

Aqui temos uma figura estranha, mas é característica do hebraico. O profeta já havia apresentado Efraim como uma esposa infiel para com o Senhor, e uma vez como menino do Senhor (11.1). Aqui Efraim é como uma criança no processo de nascer. A linguagem profética indica a possibilidade de um novo nascimento para Efraim. Mas ele é uma criança que não tem força para nascer. “Era tempo de não tardar” no lugar de romper filhos, a boca da madre, mas ele não se apresenta porque está morto. O parto é um fracasso que resulta na morte da mãe e do filho. Representa a morte espiritual de Israel e Efraim.

Mas o profeta não desiste e fala mais uma vez da graça infinita do Senhor:

“Eu os redimirei do poder da sepultura; eu os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as suas pragas? Onde está, ó sepultura, a sua destruição?” (Os. 13.14).

Oséias neste momento entregou uma palavra profética, que talvez nem ele tenha entendido o seu sentido. Essa é uma mensagem profética no sentido da ressurreição da morte. O Apóstolo Paulo interpretou esta mensagem profética à luz  do triunfo de Cristo sobre a morte na cruz (1 Cor. 15.55-57). O profeta proclama assim que o Senhor Jeová é o Deus Vivo, que tem poder de salvar a nação da morte espiritual e ressuscitá-la para uma nova vida. Há esperança para aquele que crer no Senhor, mesmo depois de morto. “Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (Jo. 11.25).

Ainda que Israel esteja morto, ainda há esperança; ainda que Efraim, meu filho, esteja morto, na sepultura, ainda há esperança,  todavia ainda viverá, porque Eu, o  Senhor Jeová  Sou  a ressurreição e a vida!

Israel está morto espiritualmente, mas Israel viverá! O Senhor Jeová ressuscitará Israel da sepultura!

Ainda que a Igreja do Senhor esteja morta espiritualmente, ela viverá novamente. Deus a ressuscitará da sepultura!

O inferno não levará este troféu, o inferno não ganhará esta vitória. Mas esta vitória sobre a morte e o inferno nos é garantida por nosso Senhor Jesus Cristo, o Messias prometido!

“Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Ora o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo!” (1 Cor. 15.55-57).

“Volte, ó Israel, para o Senhor, o teu Deus”. Seus pecados causaram sua queda! Preparem o que vão dizer e voltem para o Senhor. Peçam-lhe: “Perdoa todos os nossos pecados e, por misericórdia, recebe-nos, para que te ofereçamos o fruto dos nossos lábios.”

“Eu curarei a infidelidade deles e os amarei de todo o meu coração, pois a minha ira se se desviou deles. Serei como orvalho para Israel; ele florescerá como o lírio. Como cedro do Líbano aprofundará suas raízes; seus brotos crescerão. Seu esplendor será como o da oliveira, sua fragrância como o do cedro do Líbano. Os que habitam à sua sombra voltarão. Reviverão como o trigo. Florescerão como a videira, e a fama de Israel serão como a do vinho do Líbano.” (Oséias 14).

Há na mensagem profética a certeza do triunfo final do amor de Deus e do Reino de Deus entre os homens. Apesar do juízo de Deus, o profeta conclui sua mensagem com uma declaração positiva de esperança, de cura, de perdão,  de restauração e de vida. A esperança profética revelada na Palavra de Deus torna cada vez mais fervorosa o progresso da revelação divina.

A esperança do profeta é a volta de Israel ao Senhor. Esperança do profeta, nos demostra, que, muitos “crentes” tipo Efraim poderá voltar ao Senhor e reviver novamente.  Poderão arrepender e serem restaurados e viver uma nova vida em Cristo. Poderão entender as verdades eternas reveladas na Palavra de Deus: que vivemos em um mundo onde não podemos alcançar a retidão e a felicidade com atos e métodos falsos e injustos.

“Crentes” do tipo Efraim, poderão ainda arrepender-se de seus pecados em seus corações, e ter vergonha por ter amado a mentira, a hipocrisia e se rebelado contra o Senhor. Poderão ainda tomar palavras que expressam o desejo ardente de estar vivendo em perfeita harmonia com o Senhor, em comunhão e santidade com o Seu Reino Eterno.

LEÔNCIO R. LANÇA

About these ads
 
Deixe um comentário

Publicado por em 20/01/2013 em MENSAGENS

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 80 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: